24 outubro, 2009

Das nuvens

Quando a vida nos obriga a enfrentar situações difíceis - como uma perda, por exemplo - é preciso entender que a eternidade está dando mais um passo.
Jorge Luis Borges escreveu algo muito bonito a respeito:

“Tu és nuvem, és mar, esquecimento; e és também o que perdestes em um momento. Somos todos os que partiram. O reflexo de nosso rosto no espelho muda a cada instante e cada dia tem o seu próprio labirinto. A nuvem que se desfaz no poente é nossa imagem; incessantemente, uma rosa se converte em outra rosa”.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget