21 setembro, 2010

Gosto de Árvores

Já disse que aprecio a diversidade?
As árvores são extremamente diversas.
Já plantei algumas, mas não me lembro direito onde estão.
Com exceção de duas: A primeira que plantei, junto com várias outras mãozinhas, as mãos da professora e as mãos do jardineiro, que segurava a pá, jogava a terra e todo o resto. Mas não interessa quem fazia o quê. Só sei que plantei minha primeira árvore na minha primeira escola. E elas ainda estão lá, a árvore e a escola, é claro. E a outra foi na calçada, na porta da casa que foi minha por muito tempo e que já não é mais minha há muito tempo também. Evito passar por ali.
A casa já não é a mesma, embora ainda seja.       
A árvore que plantei na calçada também não parece a mesma.
Talvez não seja. Mas eu é que não vou lá para conferir...
As demais estão por aí, uma delas bem, bem longe daqui.
As outras, não lembro mesmo onde estão.
Aqui tem algumas, belíssimas e com alguma poesia.
Confira e penetre no diferente mundo dos elementais






19 setembro, 2010

Energia Fotônica e esse tal 2012

   Antenados nas Profecias e no Universo: Atenção:



Se vocês perceberam que ultimamente parece que os dias se encurtaram, que estão se sentindo mais inquietos, frustrados ou que estão se sentindo infelizes com a sua vida, saibam que isto está sendo provocado pela energia emitida através do Cinturão de Fótons, a Energia Fotônica.


Desde 1980, uma faixa de uma energia nova (Cinturão de Fótons) passou a penetrar nosso sistema solar, provocando os mais incríveis efeitos na vida de todo o Cosmos e consequentemente no planeta Terra e todos seus habitantes. As informações a respeito desta Energia que aqui vão foram recebidas do Mestre Maitreya através de uma comunicação mediúnica. Ele nos esclareceu que Energia Fotônica é uma faixa de energia superior em frequência, jamais emitida até então na História do Universo. A Energia Fotônica é uma faixa de energia que tem a incrível capacidade de compactar o tempo, modificando completamente nosso conceito sobre o tempo linear.  Rememorando o quanto dispúnhamos do tempo para realizar os afazeres rotineiros, notamos o quanto parece que hoje não contamos com tempo suficiente para tanto. Nossa percepção do tempo está sendo modificada e estamos deixando para trás o velho conceito de tempo linear.

Esta faixa de energia sempre foi objeto de pesquisa pelos cientistas que se surpreenderam ao constatá-la. Aqueles que estão mais bem informados a respeito, tem conhecimento de que sua função é modificar a vibração do planeta Terra - e de todo o Universo e seus habitantes de todas as espécies - para uma escala de energia muito mais elevada, transformando a vida no planeta Terra em algo muito melhor. 
Esta faixa de energia está possibilitando a cada ser recuperar a sua parte energeticamente mais elevada, que havia sido esquecida.  Nos últimos quinze anos, houve um despertar da humanidade e as pessoas  começaram uma busca por sua própria evolução espiritual e um modo de vida melhor, sob a influência da energia fotônica. Em todos os setores da sociedade, a energia fotônica tem provocado mudanças. Porém, até que uma mudança definitiva para melhor se concretize, há uma fase em que parece que tudo piora, em que tudo fica muito conturbado.  
A energia fotônica estimula a busca por um caminho para a libertação em direção à evolução espiritual, funcionando como um espelho, expondo tudo aquilo que escondido dentro de cada ser na Terra, bloqueava seu progresso espiritual.  O estilo de vida dentro do qual a humanidade tem vivido por séculos, cheio de sentimentos negativos como ódio, desejos de vingança, ganância, egoismo, etc, tem sido trazido às claras pela força da energia fotônica, provocando mudanças sensíveis, evitando que a Humanidade se auto-destrua. Por isto, muitas pessoas tem vivenciado acontecimentos completamente inusitados em suas vidas, fatos que parecem acontecer  ao caso acaso, aparentemente sem explicação, como por exemplo, executivos que sempre exerceram  sua profissão em um ambiente normalmente sob controle e que de uma hora para outra, não conseguem mais trabalho e se vêem como desempregados.

Muitas pessoas já estão acompanhando este novo fluxo, buscando limpar toda negatividade que trazem dentro de si próprias, eliminando os bloqueios,  abrindo seus espaços internos para novas idéias, potencializando suas capacidades naturais e se tornando mais conscientes e intuitivas.  Conforme a energia fotônica vai se aproximando do plano terrestre, mais as mudanças se tornam maiores e mais perceptíveis.  Esta é a razão porque existem tantas pessoas envolvidas em diversas terapias e diferentes tipos de trabalho de cura, como terapia de vidas passadas e de aconselhamento espiritual, auxiliando aqueles que se propuseram a romper os bloqueios que travavam o fluir da vida e se preparando para receber esta nova energia, elevando sua freqüência vibratória.  As pessoas estão mudando e assim é a vida. É a energia fotônica atuando!Este é o propósito evolutivo da vida na Terra. Façamos uso desta energia para transformar nossa vida!
 

Esta mensagem não pretende ser uma profecia de destruição ou uma advertência; catástrofes e acontecimentos inesperados sempre ocorreram ao redor do mundo. O prazo final para concretização destas mudanças, como bem profetizou Nostradamus, será um momento especial da História da Humanidade. Quando os efeitos desta nova energia atingirem o ponto máximo, no ano de 2012, o planeta Terra e seus habitantes - de todas as espécies - não serão mais os mesmos : todos os dogmas antigos terão perdido sua força e terão desaparecido; a Humanidade estará mais compreensiva, mais amorosa e mais criativa;  o ambiente no plano terrestre estará renovado e a Nova Era estará sobre nós. Serão tempos maravilhosos!

Perdendo Tempo com o Tempo

Se existe um fato que há alguns anos vem me incomodando é a questão do tempo, ou melhor, da passagem do tempo. Eu me lembro de quando comecei a trabalhar como recepcionista, esse era o termo da época, naquelas feiras gigantescas no pavilhão de feiras do Parque Anhembi. Uma amiga havia sido contratada por uma empresa automobilística para o tal Salão do Automóvel, havia uma vaga para a seleção, ela me chamou, fiz a entrevista, fui selecionada e quando percebi, estava lá em pé no tal stand, vestida com roupas, calçados e acessórios que eram mais do que modernos, eram a vanguarda. Cabeleireiro e maquiador à disposição e aquele exercício pleno de vaidade de ser admirada. O melhor de tudo era o pagamento por dez dias de trabalho, das duas da tarde às dez da noite. Recebi em uma semana o suficiente para três mensalidades da faculdade. Nessa época eu fazia faculdade pela manhã e trabalhava à tarde na loja da Varig da Avenida São Luiz, aqui em São Paulo e por ter estado em alguns plantões tive direito há vários dias de folga. Foi perfeito, tudo se encaixou e eu, claro, feliz da vida. Mas bastou o primeiro dia da feira para eu descobrir que o tempo estava contra mim. A coisa era pessoal. Não, não que não houvesse tempo suficiente, pelo contrário. O tempo não passava. Eu olhava no relógio e via lá, três horas e cinco minutos. Meia hora depois eu olhava novamente e lá estava; tres horas e dez minutos. O tempo simplesmente não passava. Era uma tortura até chegar a tão sonhada dez da noite, porque aquilo podia ser muito glamoroso mas se a hora não passa você quer fugir, se esconder no banheiro, qualquer coisa que tire você dali. Eu sei que estudava, trabalhava, namorava, viajava quase todos os finais de semana. Cinema, festa, discoteca, lanchonete, restaurantes, shoppings e sempre, sempre havia aquelas horas de conversas com a amiga, naqueles papos intermináveis em que a gente não sabe de onde vem tanto assunto. Hoje, tenho a impressão de que a minha hora de sessenta minutos ...tem só quarenta. Gente, estou falando sério. Olho no relógio e são duas e quarenta. Tenho que ligar para alguém as três e meia. Tenho cinquenta minutos, ótimo, vou terminar esse texto, colocar água na minha plantinha, anotar um recadinho, grudá-lo em algum lugar e pronto. Olho no relógio. O quê???? São tres e cinqüenta. Acabou, perdi a hora. A atrasada aqui vai ligar e vai ouvir que a pessoa com quem precisava muito falar já saiu e só volta amanhã. Mas como só amanhã? Ainda são quatro horas... Mas, educadamente a pessoa do outro lado da linha me explica que o sujeito com quem preciso conversar, tem uma reunião no prédio ao lado e não vai dar tempo de voltar. “Tenta no celular, se for rápida ele te atende antes de entrar no elevador.” Alguém está roubando o meu tempo. Estou aqui, concentrada escrevendo quando alguém dá uma batidinha na porta e entra. É uma garota. Uma moça. Alta, bonita, longos cachos cor de mel, boca molhada de gloss, olhos contornados por delineador, uma imensa bolsa à tiracolo com um macaquinho pendurado no fecho e fazendo o papel da tiara, óculos de aviador, igual a um que meu namoradinho usava lá no final dos anos setenta. Ela olha prá mim e diz: “Mami, eu já vou. Te ligo quando chegar lá, tá?” Ahn? ... desculpe, o quê...? Ah, filha, por favor, fala outra vez por que eu não ouvi, estava distraída. Tá bom querida, quem vai levar mesmo? E quem vai buscar? Tá certo, vai com Deus, toma cuidado, qualquer coisa me ligaaaaaa...só quem ouviu a ultima frase foi só a porta do elevador. Pois é, era minha filha. Minha filha, minha biju? Não pode ser, minha bijú é aquela coisinha no meu colo, ali, no porta-retrato.

Ocorreu um erro neste gadget